Wednesday, May 24, 2006

O meu areópago...


No Evangelho de hoje encontramos uma das seis tarefas que Jesus atribui ao Espírito Santo: conduzir os discípulos à verdade plena.
Como falar hoje do espírito Santo a um mundo vazio de espírito? Rico de matéria e submerso na incredulidade…
Para Paulo também não foi fácil falar de Deus aos atenienses. Recordo com saudade a viagem que fiz a este espaço no verão passado, onde me coube a mim ler esta passagem.
Paulo foi original, partiu da inscrição do altar: “ao Deus desconhecido”, e depois centrou o seu testemunho no conhecimento de Deus em quem vivemos, nos movemos e existimos.
Hoje, nós que somos Seus discípulo/a(s), devemos também estar atento/a(s) para descobrirmos em que nível, em que grau de conhecimento de Deus se encontram o/a(s) nosso/a(s) irmãos e irmãs.
No mundo onde nos movimentamos, frequentemente, a acreditamos num Deus que fazemos à nossa medida, nivelando o Seu pensar com nosso, as Suas razões com as nossas.
Todos sabemos muitas coisas de Deus; inclusive, falamos muitas coisas acerca Dele, mas de uma forma superficial, passamos ao lado do que Deus quer: que O conheçamos, que saboreemos o Seu amor pessoal por cada um e cada uma de nós, e que vivamos com filhos e filhas profundamente amado/a(s) por Ele.
E que tal pensar um pouco nisto hoje…



De pé, no meio do Areópago, Paulo disse, então:«Atenienses, vejo que sois, em tudo, os mais religiosos dos homens.
Percorrendo a vossa cidade e examinando os vossos monumentos sagrados, até encontrei um altar com esta inscrição: ‘Ao Deus desconhecido.’ Pois bem! Aquele que venerais sem o conhecer é esse que eu vos anuncio.O Deus que criou o mundo e tudo quanto nele se encontra, Ele, que é o Senhor do Céu e da Terra, não habita em santuários construídos pela mão do homem, nem é servido por mãos humanas, como se precisasse de alguma coisa, Ele, que a todos dá a vida, a respiração e tudo mais. Fez, a partir de um só homem, todo o género humano, para habitar em toda a face da Terra; e fixou a sequência dos tempos e os limites para a sua habitação, a fim de que os homens procurem a Deus e se esforcem por encontrá-lo, mesmo tacteando, embora não se encontre longe de cada um de nós. É nele, realmente, que vivemos, nos movemos e existimos, como também o disseram alguns dos vossos poetas:‘Pois nós somos também da sua estirpe.’

Actos 17, 22...

3 comments:

Paulo said...

Grande verdade...

Simão said...

Penso que olhar para dentro, é sempre um bom exercício. Parar mesmo e ver se andamos ou não verdadeiramente na vontade do Senhor. E digo verdadeiramente, pois o que é mais frequentemente, é querer-mos ser nos os deuses de Deus. Isto é: “ Seja feita a minha vontade”. Para ser mais concreto, quantas pessoas não há que dizem. – Confessar-me a um Padre, eu? Para que se o posso fazer directamente a Deus? Ou então: - Missa? Para que? Eu cá rezo em casa. Na missa são só beatas. Ou: - Aturar um marido destes? Deus me livre, eu quero é ser feliz, vou-me divorciar. Ou então: - ah e tal! A mulher é livre e ela é que sabe ou não se deve abortar. E muito mais coisas que estamos habituados a ver no nosso irmão que se intitula Católico.
- ” Deste fato nós somos testemunhas, nós e o Espírito Santo, que Deus deu a todos aqueles que lhe obedecem” (At 5, 32). Agora, é só aplicar a lógica. (por falar em Grécia) Penso que aqui esta a resposta para muita coisa. A palavra “obedecer” é muito complicada. E obedecer a Deus então… O que Deus nos pede, não é que entremos na corrente do mundo, mas sim que rememos contra ela. O cristão tem que incomodar.
Como é logico, contra mim falo. Pois vou embalado no mundo, vale-me a misericordia de Deus.
Ja agora, os versiculos a seguir a este que referi tambem vale a pela serem lidos.
Que a paz esteja convosco.

A Capela said...

Padre Carlos,

Estava lendo e assim que cheguei aqui :"Como falar hoje do espírito Santo a um mundo vazio de espírito?" - logo me ocorreu : "Como Amar a Deus? " -- julgo que pergunta feita a Stª Teresinha, ao que ela respondeu: " amando". Se o mundo está vazio de Espírito, então vamos lá gritá-LO acabando com a surdez.
Adorei o post e a sugestão deixada. Bjinho*
Malu