Tuesday, April 18, 2006

Ontem à noite fui surpreendido com uma notícia triste: o meu amigo e colega Pe. António Sousa foi encontrado morto em sua casa. Conhecemo-nos há muitos anos, quando ele era presidente da Câmara de Proença e o meu pai era presidente da Junta de freguesia. Cada vez que nos encontrávamos ele perguntava sempre:”então como está o senhor almeida…” O senhor almeida é o meu pai!
A morte dos amigos questiona sempre a nossa vida. Como vivemos, como temos aproveitado o tempo. Muito mais quando somos surpreendidos com uma notícia inesperada. Muitos diriam é a vida, outros Deus quis assim…
Estamos em plena Páscoa, tudo tem que ter um sentido novo. Acredito profundamente que o Pe Sousa já contempla a glória de Deus. Ele que durante a vida se empenhou em servi-lo com amor e generosidade. Agora toma parte da alegria do Senhor. Já se desprendeu da matéria, da sua condição mortal.
Quero ler a morte deste amigo à luz do evangelho de hoje. “Maria estava junto ao túmulo, da parte de fora, a chorar. Sem parar de chorar, debruçou-se para dentro do túmulo, e contemplou dois anjos vestidos de branco, sentados onde tinha estado o corpo de Jesus, um à cabeceira e o outro aos pés. Perguntaram-lhe: «Mulher, porque choras?» E ela respondeu: «Porque levaram o meu Senhor e não sei onde o puseram.» Dito isto, voltou-se para trás e viu Jesus, de pé, mas não se dava conta que era Ele. E Jesus disse-lhe: «Mulher, porque choras? Quem procuras?» Ela, pensando que era o encarregado do horto, disse-lhe: «Senhor, se foste tu que o tiraste, diz-me onde o puseste, que eu vou buscá-lo.» Disse-lhe Jesus: «Maria!» Ela, aproximando-se, exclamou em hebraico: «Rabbuni!» que quer dizer: «Mestre!» Jesus disse-lhe: «Não me detenhas, pois ainda não subi para o Pai; mas vai ter com os meus irmãos e diz-lhes: 'Subo para o meu Pai, que é vosso Pai, para o meu Deus, que é vosso Deus.'» Maria Madalena foi e anunciou aos discípulos: «Vi o Senhor!» E contou o que Ele lhe tinha dito.
Maria, em lágrimas, inclina-se e olha para dentro do túmulo. Ela já tinha todavia constatado que estava vazio, e tinha anunciado o desaparecimento do Senhor. Porque se inclina então ainda? Porque quer ver de novo? Porque o amor não se contenta com um único olhar; o amor é uma conquista sempre mais ardente. Ela já O procurou, mas em vão; obstina-se e acaba por descobrir...
Mulher a quem procuras? Porque choras? A ti ou a mim? Se é a mim que procuras, então chora, espera, sofre. Se é a ti que procuras, queixa-te de ti mesma por estares nessa perspectiva dolorosa.
A resposta de Maria é muito sugestiva “Rabbuni”, isto é, és tu que mandas, eu obedeço, estou pronta pertenço-te. Não me toques, diz Jesus... É a passagem da presença sensível para a presença da fé. Um dia uma menina que tinha perdido a mãe disse-me: Perguntei-lhe porque estava triste. Foi porque a tua mãe partiu? Ela respondeu-me – não partiu. Antes estava ao meu lado, e agora está em mim. Que lição...
Diz ainda Jesus, vai aos meus irmãos: é isto que nos diz hoje também. Não fiques paralisado pela morte mas vai e anuncia a vida. Realiza a tua missão.
Que Jesus realize a sua missão em nós…

2 comments:

Simão said...

Porque para mim o viver é Cristo e o morrer é lucro.(Filipenses 1,21)...Esse teu amigo, apenas colheu os dividendos de quem vive por cristo...claro que é sempre dificil para qem ca fica...mas é bom sinal que assim seja. Mal daquele que ao morrer nao deixa saudade na terra!
A paz esteja contigo e com o teu espirito nesta hora dificil..

Anonymous said...

Forte, bonito, profundo, o pensamento que nos traz hoje.
E que turbilhão de sentimentos ele provoca!...