Wednesday, April 12, 2006


Em vésperas de Páscoa…
Transformação pela morte. “Trans…”implica sempre a morte de qualquer coisa. Crescer é passar por uma transformação. E se é para nos tornarmos Deus, então a transformação tem que ser radical. “Tornar-se Deus”, um tema para pensarmos um pouco ao longo deste dia. É o essencial da nossa fé. Requerem-se transformações parciais para se alcançarem resultados parciais. Mas quando se trata do infinito, do transcendente, tornar-se naquilo que Deus é, a transformação tem que ser radical. E a transformação radical é a morte.

2 comments:

Anonymous said...

Sendo a morte a transformaçao radical, porque é que quase nunca estamos preparados para enfrentá-la e encará-la?
É bom podermos partilhar este teu trabalho, de modo a nos ajudar a encontrar certas respostas...
Boa continuaçao, e mais uma vez Parabens...
Feliz Pascoa.

Malu said...

Se é tão difícil enfrentar e encará-la, sempre podemos 'ir morrendo' para certas coisas - do mundo. Desprendendo-nos do surpéfluo, fútil e vão; do que não importa e passa. É uma forma de morrer e de maneira a se atingir a transformação. O 1º passo custa e o 2º, mas a força vem chegando para outro e que então pode vir a ser o radical a que nos propusemos. O que finalmente nos liberta....